Home / Blogs / Carlos Tavares / Opinião: O pior é se o Presidente da República ir na onda popular

Opinião: O pior é se o Presidente da República ir na onda popular


O PRÓS E CONTRA DE UMA LEI LEGITIMA: DIREITO A MANIFESTAÇÃO UM DIREITO CONSTITUCIONAL

 

Carlos Tavares

Carlos Tavares

Sou mais um cabo-verdiano que vive intensamente o dia-a-dia da minha terra natal, mas também sou um cabo-verdiano que aprendeu a viver sem estar a reboque ou assentir ser manipulação por alguém. Penso com a minha própria cabeça, ando com os meus próprios pés e decido sempre de forma autónomo, analisando a realidade e agindo de acordo com a minha consciência. São os valores que devem ser muito caro a qualquer cidadão que se preze, aliás ele foi um dos princípios basilares do nosso saudoso líder Amílcar Cabral.

 

Nesta vida, nada é perfeito e o ideário não passa de horizonte a atingir.

 

Não ficaria bem com a minha consciência ignorar ou fazer de conta, em relação aos últimos acontecimentos que tem mexido com a pacatez do cabo-verdiano. Estou a referir ao rebuliço ou melhor a reacção surgida, após a aprovação, por unanimidade, na casa parlamentar do novo Estatuto dos Titulares de Cargos Políticos. Todavia, antes de fazer  a minha apreciação sobre este assunto, pergunto do porque tanto ódio pelos políticos cabo-verdianos? Será que o que é nosso não presta?

 

Acompanhei  as manifestações públicas via Internet que felicito, pois sou um defensor acérrimo dos movimentos cívicos, aliás, direito esses que está consagrado na nossa lei magna. O que não estou de acordo, são alguns slogans usados por alguns oportunistas e arruaceiros que aproveitaram essa manifestação para ofender, vilipendiar e por em causa a dignidade de homens e mulheres que têm dado tudo de si para que Cabo Verde esteja no patamar de desenvolvimento que se encontra hoje. Esqueceram que foram esses deputados que vêm fazendo e aprovando leis, que nos diferenciam dos demais países da nossa sub-região, evitando assim que fossemos um estado das bananas. Não é demais aqui recordar que em termos de leis somos reconhecidos como um dos países de top ao nível mundial. De entre vários slogans que assisti, havia um que despertou a minha atenção, que foi o que dizia “ESTE NÃO É O MELHOR MOMENTO”.  Este cartaz, expressava de facto o que eu e de certeza, a maioria dos cabo-verdianos de bom senso pensam em relação a esta matéria.

 

jorge-carlos-fonseca-ft

Presidente Jorge Carlos Fonseca

Agora pergunto; Será que este figura pública com alta responsábilidade esqueceu-se de que país ele mesmo foi o chefe da Nação? Será que alguns dirigentes esqueceu-se de que país se trata?

 

Gostaria de saber qual é o melhor momento para aprovação desta lei?  Sou um caboverdiano como todos e sei que em CaboVerde não há ouro, petróleo nem diamante, para que possámos alimentar esperança de um dia melhor.

 

Caboverdianos, deixemos de ser manipulados e agimos de acordo com a nossa consciencia, porque não é justo que em 18 anos, os fazedores de leis não sejam aumentado os seus salários.

 

Desde de 1997, tenho certeza absoluto de que os preços de generos alimenticios e de primeira necessidade aumentou mais de 100%, e eles mantiveram no mesmo, quero com isto dizer que a inflação ficou intacta nas suas carteiras.

 

De 1997 a esta data quantos aumentos ja tiveram na função publica? Esta resposta deixe a mercê das pessoas

 

Nos tempos longínquo  em que fui funcionário público  78 à 88, me lembro como se fosse nos dias de hoje em que as manifestações fazem parte do nosso curriculum, quando o governo aumentavam produtos de primeira necessidade, como arroz, milho, açucar, petroléo etec.etc. nós os funcionários ficaria na expectativa para quando um aumento, e, mais cedo ou mais tarde acabaria para chegar e com retoatividade para equilibrar a inflação. Assim, que considero absurdo dos deputados da Nação terem aguentado 18 anos sem um reajustamento salarial, eles são humanos como nós e com responsabilidades familiares igual a qualquer um, agora a sociedade caboverdiana devés enquanto misturam alho com bugalho confundindo a nossa propria cabeça, a democracia deve ser exercida com responsabilidade para não confundirmos as coisas.

 

Pelo menos, eu Carlos Tavares, só porque estar na Democracia posso ganhar igual a um médico. Tudo na vida há prós e contras o importante é saber equilibrá-las

 

O pior é…

Na minha modesta opinião, acho que os deputados já fizeram o que tinha para fazer no meio de toda pressão e mostrarem que autoridade é para ser mantida, cabe agora ao Presidente da República não ir na onda popular e decidir o que deve ser decidida. O pior é se o Presidente da República ir na onda popular, ficariamos num Estado sem personalidade em que ninguém respeita ninguém, e que os agentes públicos não faria sentido a sua existência.Somos a República de Cabo Verde e não desejo que ficamos uma República das bananas.

 

Usa, 7 Abril 2015

Carlos Tavares

Facebook Comments
Print Friendly, PDF & Email
Download PDF
Google+
%d bloggers like this: