Home / Cabo Verde / OPINIÃO. JANIRA HOPFFER ALMA­DA: UMA SURPRESA DES­CONCERTANTE

OPINIÃO. JANIRA HOPFFER ALMA­DA: UMA SURPRESA DES­CONCERTANTE


carlos-tavares

Carlos Tavares

AFINAL, O QUE FAZ CORRER JANIRA HOPFFER. ALMADA? MANIPULA­ÇÃO DOS RECURSOS DA INTERNETE PARA PASSAR MENSAGENS FALSAS

 

Não é minha intenção fazer opinião positiva ou negativa de qualquer das candidaturas à pre­sidência do nosso Partido por vá­rias razões e a principal é que, no fim, o meu presidente será aque­le que tiver mais apoio dos mi­litantes através do voto claro e transparente nas urnas.

Mas, como sou uma pessoa inconformada com o irrealis­mo e as habilidades com que al­gumas vezes se faz a política na nossa terra e na continuação de um texto meu sobre a manipula­ção dos recursos da internete para passar mensagens falsas, tomo esta iniciativa que espero seja entendida como uma contribui­ção para que a escolha dos mili­tantes se faça com base na verda­de e em factos e não apenas em ilusões.

Àqueles que queiram avan­çar neste caminho recomenda­ria mais verdade e mais prudên­cia porque há sempre quem te­nha conhecimentos para des­montar as situações, mesmo as mais cuidadosamente montadas e quando isto acontece o feitiço pode virar-se contra o feiticeiro.

Janira Hopffer Almada

Janira Hopffer Almada

Com isso quero deixar bem claro que o meu posicionamen­to não é de modo algum contra a pessoa de Janira H. Almada, mas tão-somente para tecer algumas considerações sobre os métodos utilizados, que não me parecem ser os melhores para o PAICV.

 

O ESTILO DA CAMPANHA DE JANIRA H. ALMA­DA ESTÁ A SER UMA SURPRESA DES­CONCERTANTE

Tenho reparado que o estilo da campanha de Janira H. Alma­da está a ser uma surpresa des­concertante para muita gente habituada ainda a outra forma de promover projectos e propos­tas que dizem respeito à genera­lidade dos militantes.

Apesar do seu insignificante percurso político e falta de ma­turidade, sob uma chuva de crí­ticas pelo uso e abuso de recur­sos do Estado para a sua campa­nha interna, a jovem política dá sinais de uma ambição que pare­ce não ter limites.

Foi assim que, quase sem ra­zão aparente, ela se transformou numa produção instantânea, da­quelas que só se fazem à força de uma propaganda intensiva, com meios e recursos fora do alcance dos demais candidatos, por ra­zões de ordem material, é certo, mas também por considerações éticas.

Com efeito, os factos mos­tram que ela não poupa nos recursos alheios e próprios para projectar a sua imagem, fazendo uma campanha de propaganda vertiginosa nos diferentes meios de informação. De tal modo que é vista como uma excelente cliente de jornais e fazedores profissionais de opinião que vão ganhando algo com a prestação dos seus serviços.

 

QUALIDA­DES E VISÃO QUE NINGUÉM CONHE­CE

 

Nos jornais tem gente de plantão para noticiar as suas ac­ções e elogiar as suas qualida­des e visão que ninguém conhe­ce por não passaram de simples declarações gerais, muitas vezes copiando mal ou letra por letra as mensagens de outras candida­turas.

No entanto, é na internet que ela mostra toda a sua determina­ção e vontade de ganhar a lide­rança do partido, utilizando es­pertezas de manipulação de da­dos e distorção de informações que muitas vezes só aparente­mente geram ganhos políticos.

No Facebook, a página da sua candidatura já vai em mais de 12 mil aderentes e as pessoas até perguntam porquê. Mas, quem visita a sua página logo vê que se trata de propaganda enganosa em dois sentidos – na mensagem e na audiência.

 

A PÁ­GINA DELA É UM VAZIO DE IDEIAS

 

Em relação à mensagem, a pá­gina dela é um vazio de ideias, que é um sintoma recorrente em quem quer escalar depressa de­mais e à custa de situações con­junturais que colocaram em suas mãos os mais vastos e discricioná­rios poderes e recursos públicos.

Em termos políticos são três ou quatro cartas de apoio, para disfarçar a falta de mensagem política própria, e o resto são in­formações sobre reuniões, visitas e encontros e mais recentemente um conjunto de frases sem con­texto e muito vagas que podem significar tudo e nada ao mesmo tempo.

Por exemplo – alguém saberá o que na ideia e na prática dela significa o conceito de “esquerda Cabralista”?

Não será antes um jogo de palavras para utilizar uma ideia bem fundada na ideologia do PAICV e o nome de uma figura tão consagrada como a do nos­so Líder Imortal? Verifiquem as contradições e tirem as vossas próprias conclusões.

 

Mas, apesar disto, podem per­guntar: como é que a sua página tem tantos aderentes?

 

SONDAGENS MISTERIOSAS

 

noticias de norte-votacao2E há mais. Para incrementar estas e outras soluções criati­vas, a divulgação de alguns da­dos de sondagens misteriosas es­tão dando muito jeito. O emba­raço é que a tal sondagem, “in­ventadamente” encomendada pela candidata Cristina Fontes Lima não passou de ficção políti­ca para justificar a livre manipu­lação de números da forma mais conveniente. Mais um falhanço de estratégia.

 

Mesmo com este desaire, as potencialidades de fuga de in­formações sobre sondagens, ma­nipuladas ou ficcionadas, são de tal ordem que não podem ser dispensadas do catálogo dos es­quemas para reforçar o certeza sobretudo das pessoas que que­rem ser convencidas.

É nesta linha de comunicação que surgiu um inquérito on-line no jornal Notícias do Norte so­bre os quatro candidatos à lide­rança do PAICV. E sabem o re­sultado? Janira H. Almada 55,4% e Felisberto Vieira 41,4% até à hora em que fizemos a última verificação.

 

Mas, já antes, ainda quando o resultado estava em 49% para Ja­nira e 47% para Filu, este jornal já se tinha apressado a concluir taxativamente que os “internau­tas querem Janira para presidente do PAICV”. E pronto! – Trabalho feito e facturado como mandam as regras.

O problema é que este tipo de inquéritos já não engana nin­guém. As pessoas minimamente informadas sobre as artimanhas na internet sabem muito bem como fazer múltiplas votações.

Muitas pessoas disseram e provaram que votaram mais do que uma vez e que só não conti­nuaram nesta farsa por não es­tarem convencidas de poderem enganar as pessoas.

 

A CANDIDATA JA­NIRA H. ALMADA ESTÁ UTILIZANDO RECURSOS DO ESTADO

 

Por tudo isto a candidata Ja­nira H. Almada está embarcada numa estratégia de marketing pessoal utilizando recursos do Estado adicionados às mais mo­dernas tecnologias de enganação política.

 

O pior é que, para grande sur­presa de um certo grupo, isto não está a funcionar e a prova está não na opinião publicada, mas sim, na voz autêntica dos mili­tantes. Mas, por enquanto ela vai fingindo que acredita e não deita a toalha ao chão à espera da contagem real dos votos. En­tretanto, força, Janira! Há mais recursos públicos para gastar.

 

A nós, que defendemos ou­tro tipo de postura política e que nem sequer estamos satisfeitos com o tipo de debates políticos que se fazem na sociedade, com­pete-nos questionar:

 

Será com este tipo de tácticas e valores éticos e políticos que vamos fazer do PAICV um parti­do mais credível e respeitado pe­los cidadãos?

Será isso que juventude cabo­-verdiana deseja de um partido político com vocação de poder?

 

… os factos mostram que ela (Janira Hopffer Almada) não poupa nos recursos alheios e próprios para projectar a sua imagem, fazendo uma campanha de propaganda vertiginosa nos diferentes meios de informação. De tal modo que é vista como uma excelente cliente de jornais e fazedores profissionais de opinião que vão ganhando algo com a prestação dos seus serviços.

Por: Carlos Tavares -8/2014

 

Facebook Comments
Download PDF
Google+
%d bloggers like this: