Home / Blogs / PEDRO PIRES/80 anos: Faz do patriotismo, da honestidade e da decência a sua doutrina do dia-a-dia.

PEDRO PIRES/80 anos: Faz do patriotismo, da honestidade e da decência a sua doutrina do dia-a-dia.


carlos-tavares

Carlos Tavares

PEDRO PIRES: Um comandante estratego, um diplomata genuíno e um estadista carismático

Seria difícil para mim, deixar passar despercebido os OITENTA ANOS de Pedro Pires, um homem que na minha modéstia opinião é e continuará a ser o meu Presidente e Presidente dos Cabo-verdianos por toda a vida. Aliás, a minha ousadia permite-me ir mais além e dizer,  que a minha memória não recorda, no presente, um líder, ainda vivo, afastado da política activa, seja ele cabo-verdiano ou africano para não dizer mundial com o mesmo carisma, o mesmo percurso do nosso PEDRO VERONA RODRIGUES PIRES.

 

Como Cabo-verdiano, a única forma que  tenho para restituir ou preitear pela contribuição que deu ao meu Cabo Verde, é fazé-lo um reconhecimento público, do homem que deu e continua a dar tudo de si por Cabo Verde, através da minha escrita. O seu amor incondicional por Cabo Verde, o seu prestígio internacional, o seu ideário de Homem inovador, defensor da democracia e do bem comum e do bem-estar dos cabo-verdianos faz-me sentir orgulhoso de ter Pedro Pires, como um dos obreiros do nosso Cabo Verde de hoje.

Pedro Pire: Faz do patriotismo, da honestidade e da decência a sua doutrina do dia-a-dia.

Este homem sociável, de trato simples, moderado e muito inteligente deixa marcas indelével em todas às fases da nossa história. Pedro Pires, faz do patriotismo, da honestidade e da decência a sua doutrina do dia-a-dia.

 

Pedro Pires - usa visit

PEDRO VERONA RODRIGUES PIRES

Pires, durante a luta de libertação nacional foi um comandante militar admirado e respeitado por seus soldados e pelo inimigo, na negociação da independência da Guiné e de Cabo Verde provou ser um grande diplomata e na construção dos alicerces para um Cabo Verde livre, independente e próspero, apesar de muitos incrédulos duvidar da sua viabilidade, ele demonstrou ser um grande governante e um estadista carismático.

 

Hoje, nas vésperas de cumprir oitenta anos de idade, auguro-lhe muitos e longos anos de vida, para continuar a dar tudo de si para que Cabo verde continue a florescer e a desenvolver. Que continue a pôr toda a sua inteligência, todo o seu saber, o seu humanismo à disposição da nova geração, principalmente aqueles que usam da política por fins pessoais, no sentido de autopromoverem e atufarem as suas contas bancárias e o clientelismo partidário. Que coloque o seu exemplo de homem simples, austero, rigoroso e incorruptível à disposição dos mais novos para que saibam que a virtude dos governantes é fundamental para o futuro e a credibilidade deste nosso pequeno grande país.

 

Como muitos devem estar a recordar num dos meus artigos que dediquei a este gigante político africano, explicava, a meu ver, alguns aspectos que considero relevante para o sucesso do seu longo trajecto político. Penso que nunca é demais reavivar o passado desta figura central e ímpar dos cabo-verdianos na construção deste Estado de Direito democrático de que todos nós regozijamos.

 

Pedro Pires, aquando da assinatura de alvor em Argélia muitos países, inclusive Portugal temia a nossa sobrevivência enquanto país livre e independente. Hoje, somos um país de desenvolvimento médio.

 

Há poucos dias o Deputado do MpD para Europa, usou os microfones da AN, para de forma cobarde tentar, mais uma vez, beliscar e denegrir a imagem do nosso Pedro Pires. Felizmente que esse ensaio não teve eco, e são cada vez menos em Cabo Verde, mesmo no seio dos ventoinhas, que em 91 difamaram-no e tentaram assassina-lo politicamente, chegando inclusive ao desplante de simular o seu enterro. Felizmente o povo de Cabo Verde, confia e acredita nesse homem tanto pelo seu passado, como pelo seu presente. Ele é respeitado mundialmente. Em reconhecimento ao seu trabalho foi agraciado com o prémio “Mo Ibrahim”, honra que é presenteado aos melhores, pelo seu desempenho, enquanto estadista.

por Carlos Tavares

 

 

 

Facebook Comments
Download PDF
Google+
%d bloggers like this: