Home / Cabo Verde / Jorge Carlos Fonseca, encerrou a Iª Cimeira sobre a inovação em África.

Jorge Carlos Fonseca, encerrou a Iª Cimeira sobre a inovação em África.


O Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, encerrou a Iª Cimeira sobre a inovação em África. O acto aconteceu na tarde do dia 06 de Fevereiro de 2014 na Assembleia Nacional. Perante centenas de participantes de vários países africanos, frisou a necessidade de uma preocupação constante na defesa e garantia de bem-estar das populações e na utilização dos recursos nacionais sempre obedecido a lógicas e interesses das populações.

1890426_670000563038644_2046558382_o

O Chefe de Estado afirma estar convicto de que “este primeiro encontro anual da Africa Innovation Summit – AIS, realizado na cidade capital de Cabo Verde, e que permitiu reunir, neste emblemático espaço do Parlamento Cabo-verdiano, empreendedores, inovadores, políticos, investigadores, mulheres e homens do saber, para, em conjunto, encetarem um amplo diálogo sobre a inovação em África, se terá traduzido num espaço privilegiado de troca de experiências de conhecimentos e de produção de recomendações concretas que permitirão, em tempo oportuno – e que prevejo seja o quanto antes -, construir uma rede estratégica capaz de gerar inovação e empreendedorismo tão necessários para a transformação social/económica de África”.

[slideshow_deploy id=’6204′]

Leia o discurso completo em: www.presidencia.cv

 

Liderando a Inovação: Conversas com Presidentes

 

1781895_669484063090294_1903807027_nOs Presidentes de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, e do Ruanda, Paul Kagamé, e o ex-chefe do Estado de Moçambique Joaquim Chissano participaram numa “sessão especial” durante quase três horas, enquadrada na Cimeira sobre Inovação em África, intitulada “Liderando a Inovação: Conversas com Presidentes”, no dia 5 de Fevereiro, na Assembleia Nacional.

As apostas na inovação e transformação em África, nas melhores práticas na criação de políticas de investigação, na educação e no empreendedorismo e ainda formas de apoiar a criatividade foram, em síntese, os temas abordados por Fonseca, que previu que há ainda muito a fazer.

Apesar de África ser o continente que mais tem crescido em termos económicos e populacionais, as melhorias “não têm sido ainda suficientes” face aos “elevados índices de miséria” que persistem, a par de conflitos, insegurança e de regimes em que a liberdade e a democracia são restringidas, entre outros obstáculos, precisou o Presidente da República.

O compromisso entre o sector público e privado deve também prevalecer nos Estados africanos, acrescentou o Presidente cabo-verdiano, salientando que a Agenda Pós-2015 para África deve ser encarada de frente pelo continente, que terá de apostar nas novas tecnologias para se desenvolver e recuperar o atraso.

Lembrando a “ambiciosa” e ainda longínqua “Agenda 2063”, que os chefes de estado e de governo africanos devem aprovar na cimeira de Julho deste ano, o Presidente da República Fonseca defendeu que cabe às novas lideranças de África “fazer roturas e abrir novos caminhos” para que, nesse ano, o continente possa estar em posição de “africanizar” o mundo.

via facebook: Presidência da República de Cabo Verde

Facebook Comments
Download PDF
Google+
%d bloggers like this: