Home / News / UNI-CV: Professor queixa-se de “perseguição” por Reitora PAICV

UNI-CV: Professor queixa-se de “perseguição” por Reitora PAICV


Queixando-se de perseguições de que, na sua opinião, tem sido alvo por parte da reitoria da Universidade de Cabo Verde, o prof. Eduardo Camilo apela ao novo Governo (em constituição) e ao povo cabo-verdiano para que estejam atentos ao que alega passar-se naquela Universidade de onde acabou por ser afastado

eduardoCom um longo curriculum, o referido professor universitário, com mérito científico/pedagógico reconhecido, foi requisitado em 2013 pela UNI-CV para professor e investigador, com o acordo que passaria ao quadro definitivo, desde que observados todos os requisitos legais. Desde então, trabalhos e pesquisas suas foram aceites e elogiados na Europa e nos Estados Unidos da América.

Segundo aponta em carta de protesto e denúncia, a partir de 2014, com a eleição da “nova reitoria da Uni-CV”, tudo mudou e começou a perseguição: desde a demora no deferimento dos pedidos de despensa para conferência/palestras no exterior, retirada do projeto de mobilidade entre UFMG/UNI-CV que fora conseguido (feiro “de forma arbitrária para beneficiar amigos”) até ao seu despedimento em agosto de 2015 justificado pelo substituto do administrador geral, com a justificação do decréscimo do número de alunos e falta de carga horária.

Primeiro, negam distribuição de disciplinas para depois alegarem falta de carga horária

Pergunta Eduardo Camilo, invocando os próprios estatutos da UNI-CV (onde a pesquisa e a investigação são valores fundamentais no processo ensino/aprendizagem), como explicar que tenha de ser ele a ser afastado quando há na Universidade licenciados, sem habilitações e provas dadas, que caso essas razões se pusessem seriam os primeiros a ser afastados. Sindicância pedida aos factos mencionados nunca foi atendida.

Queixa-se o professor que, para fundamentar o despedimento, deixaram de lhe ser atribuídas disciplinas (a outros entregues). Mesmo assim, Eduardo Camilo questiona: “Será que a vida universitária se resume a carga horária? Quantos não têm carga horária, não publicam e continuam na UNI-CV?”. E acrescenta: “A minha avaliação como investigador e professor é do conhecimento público, bem espelhado tanto na UNI-CV quanto no ISCJS. As referidas práticas contrariam inclusive as metas estabelecidas para a UNI-CV, tendo em vista que esta deve ser compreendida como um dos instrumentos para a execução das diversas políticas públicas traçadas pelo Estado de Cabo Verde”.

Há outros casos

Relata o referido professor que em outubro de 2015 participou num concurso público no Brasil, onde foi aceite, além de receber outros convites formulados por diversas universidades interessadas na sua pesquisa, mas que o seu interesse é ficar em Cabo Verde onde pensa ser necessário, não devendo ser submetido ao que considera um “linchamento”. De resto, o seu caso parece ser nem ser único na UNI-CV: cita o de uma professora selecionada para um projeto em Minas Gerais para mobilidade em Belo Horizonte, também deputada municipal do MpD pela Praia, mas viu recusada a nomeação, embora tivesse bolsa, alojamento e seguro em Belo Horizonte.

A Reitora é do PAICV

Alguns professores, colegas de Camilo, com quem falamos a propósito destas denúncias, confirmam a versão dos factos aqui relatados bem como as explicações que nos foram dadas pelo próprio: “é verdade que a Reitoria da UniCV, assim como a maior parte das instituições públicas do País, é politizada”, garante um dos professores que acrescenta, “só assim é que se compreendem vários atos desta Reitora como o facto de um pós-Doutor ser afastado quando temos licenciados no sistema”. O problema, diz outro professor, “é que esta Reitora é demasiadamente PAICV e como tal não consegue distinguir a capacidade dos professores sem a vinculação dos mesmos ao seu partido”.

Segundo a denúncia do Professor Eduardo Camilo, “é falso que não havia disciplinas. E prova disso +e que até a diretora de gabinete do MESCI foi premiada com as minhas disciplinas”. O que conta na Reitoria, segundo ficamos a saber é o facto de se ser ou não PAICV, o partido da Reitora.

Facebook Comments
Print Friendly, PDF & Email
Download PDF
Google+
%d bloggers like this: