Home / News / Ulisses Correia E Silva: Reconhecer a importância da diáspora deve ter expressão concreta nas opções da governação.

Ulisses Correia E Silva: Reconhecer a importância da diáspora deve ter expressão concreta nas opções da governação.


Ulisses Correia E Silva: Reconhecer a importância da diáspora deve ter expressão concreta nas opções da governação.

Ulisses Correia e Silva

Ulisses Correia e Silva

Por isso, é nosso compromisso aprovar um estatuto de investidor emigrante que incentive o investimento empresarial e financeiro no país, que ofereça um quadro fiscal atractivo e preste um serviço de atendimento e de aconselhamento de qualidade.Podem contar que connosco será mais incentivador fazer transferências das vossas poupanças para Cabo Verde;haverá menos impostos sobre as vossas poupanças e sobre os vossos investimentos;haverá mais interesse na atracção dos vossos investimentos;haverá melhores condições fiscais e burocráticas para o retorno daqueles que pretendem regressar à terra;haverá melhor atendimento nas embaixadas, nos consulados e nos serviços em Cabo Verde. Podem contar que connosco a política de transportes aéreos na sua relação com a diáspora e, particularmentecom os nossos emigrantes nos EUA, será diferente.

A TACV tem que mudar.

A TACV tem que mudar. Como companhia de bandeira deverá ter uma obrigação especial: ligar as nossas comunidades ao país, prestar um serviço eficiente, regular e a preços justos. Terá expressão concreta nas opções da nossa governação, um melhor aproveitamento das elites cabo-verdianas da diáspora. É nosso compromisso definir um quadro institucional incentivador da sua participação em prol do paíse na edificação de uma verdadeira economia doconhecimento.

Os quadros cabo-verdianos de elite

Temos na diáspora quadros altamente qualificados na medicina, nas tecnologias de informação e comunicação, na gestão de empresas, nas universidades, e em várias outras áreas que podem dar um contributo precioso ao país.Assumo o compromisso de criar todas as condições para que os quadros cabo-verdianos de elite na diáspora façam parte dos quadros de elite do país e sejam institucionalizados mecanismos de prestação de serviços técnicos especializados em áreas onde o país se debate com défices de recursos humanos altamente qualificados.

“Estatuto Direito de Regresso”

Assumo o compromisso de criar um “Estatuto Direito de Regresso” com incentivos especiais para quadros altamente qualificados que queiram regressar ao país para trabalhar por conta própria ou por conta de outrem. A problemática da deportação merecerá a nossamelhor atenção quer no quadro das relações com os estados de Rhode Island e Massachusetts, quer no quadro de um programa de re-integração educacional, cultural, social e econômica dos deportados. Assumo o compromisso para com uma nova diplomacia dirigida aos nossos emigrantes. Não toleraremos nenhum instituto, nenhuma embaixada e nenhum consulado que, de forma expressa ou velada, faça política partidária junto da nossa emigração. As nossas representações externas representam o Estado de Cabo Verde. Devem ser, estar, actuar e parecer como tal.

Os serviços consulares…uma grande dor de cabeça

ulisses correia e silva-2Os serviços consulares deverão estar ao serviço dos cidadãos e serem guiados pela missão de serviço público e a atitude de servir sem qualquer tipo de discriminação. Sei que a emissão de documentação, emissão e renovação de passaportes e obtenção da nacionalidade cabo-verdiana tem sido uma grande dor de cabeça para os nossos emigrantes. Este é um assunto que merecerá a maior das nossas atenções fixando prazos taxativos para que os cidadãos possam ser servidos. Sem perda de rigor e de segurança jurídica das operações, é possível e necessário mudar o estado de coisas prevalecentes actualmente na nossa administração pública que é ineficiente e atende mal.

Facebook Comments
Download PDF
Google+