Home / News / Prof. Eduardo Camilo: O NOSSO SOFRIMENTO

Prof. Eduardo Camilo: O NOSSO SOFRIMENTO


A verdade e o mérito vencerão um dia neste nosso país!

prof_eduardo_paris

Caros amigos,?Em 2004, ainda em São Paulo, via com certa estranheza e espanto, o facto de milhares de jovens caboverdianos não regressarem a Cabo Verde depois das respectivas formações. A nossa mentalidade e essa divisão bipolar entre as ilhas criada, em 1832, pelo Teófilo Dias e pelo governador Joaquim Marinho, que tem persistido até os nossos dias, tem condicionado o desenvolvimento das nossas ilhas. Não posso descordar desses jovens, uma vez que muitos pensam que são melhores filhos, donos de tudo. Fazem parte desta estratégia: jogos desonestos, baixesa e afastamento. Não posso descordar daqueles que um dia decidiram não regressar.
Amo Cabo Verde, mas devo reiterar que somos caboverdianos como todos e meritosos como todos. Devo aproveitar para agradecer a Deus, que nos tem guiado e consolado em todas as nossas angústias até o presente. Devo ainda agradecer a todos os amigos, familiares e ao governo de Cabo Verde e demais empresas que sempre apoiaram os nossos projectos.

A verdade e o mérito vencerão um dia neste nosso país! Essa é a nossa luta, pesquisar e desmontar a realidade colonial que sempre nos ensinaram! Retiram-nos projectos que nós conseguimos, tentam nos afastar da nossa caminhada, mas esquecem que Deus é Deus. Aonde estivermos, Ele estará presente e nos guiando.
O nosso sofrimento é o sofrimento de muitos outros. Quando vamos colocar um ponto final nesse sofrimento? Será que não somos caboverdianos?A nossa luta é pelo conhecimento. Bravo povo do interior de Santiago que lutou, por acreditar que Deus é de todos e que a terra é de todos! Essa é a nossa luta silenciosa, face a vontade de outros que se acham “civilizados”. Toda a nossa luta até aqui tem sido com muita luta e perseverância, face a inveja e o ódio de alguns. Poderão roubar todos os nossos projectos, mas a nossa dignidade e a nossa vontade jamais. Segundo Michel de Foucault, o poder equivale um certo saber e vice-versa.
Caros amigos, durante esta caminhada temos investido todos os nossos recursos financeiros a pesquisar sobre Cabo Verde, à revelia de um grupo que pensa ser dono do saber, dono de instituições. O que não conseguem nos roubar é a nossa grande vontade e a nossa dignidade.
A todos os caboverdianos que têm reconhecido as nossas contribuições para a pesquisa em Cabo Verde os nossos agradecimentos. Enquanto tiver vida e saúde irei pesquisar sobre Cabo Verde, mesmo passando por privações!?Amo Cabo Verde e ninguém nos poderá afastar do nosso país!
Eduardo Camilo, PhD

Facebook Comments
Download PDF
Google+
%d bloggers like this: