Home / Blogs / Carlos Tavares / XL ANIVERSÁRIO DA INDEPENDÈNCIA DE CABO VERDE DE PARABÉNS

XL ANIVERSÁRIO DA INDEPENDÈNCIA DE CABO VERDE DE PARABÉNS


COMISSÃO ORGANIZADORA DO INDIA POINT PARK DE PARABÉNS

Carlos Tavares

Carlos Tavares

No final de um dia exausto e depauperado, de certeza, que a comissão organizadora e muitos voluntários anónimos que a apoiaram na organização do Festival do India Point Park 2015 sentiam-se revigorados e deleitados pela qualidade do trabalho ostentado. Pois, valeu a pena trabalhar e esfalfar para depois colher os louros do reconhecimento. Foi um autêntico sucesso.

O êxito do festival foi a todos os níveis modelar, desde o comportamento cortês da nossa comunidade, passando pelo sistema de segurança, logística, protocolo, som entre outros itens. Pois, o certame esteve à altura do expectável. Penso que é de justeza realçar o papel de todos e o esforço de cada um para que a nau chegasse a bom Porto. A comunidade cabo-verdiana do Estado de Rhode Island, assim como as de todos os cantos dos EUA que estiveram presentes no evento, sentem-se hoje reconfortados com o brilharete alcançado. Estamos todos de parabéns.

 

cv40th-carlos-tavaresNão obstante o sucesso ser de todos, nunca é demais enaltecer àqueles que destacaram, dando o seu melhor desde das 6.00 horas de manhã, para que possamos sentir hoje satisfeitos pelos resultados conseguidos, são eles Carlos Medina, Chefe Tavares, Rosy Tavares, Eneida Rocha, Carlos Costa, Amadeu Semedo e as infatigáveis Khrystine Bento e Denise Barros. Ainda queria deixar aqui, um gesto de apreço e de carinho ao nosso Arlindo Alves, pessoa  responsável pelo sucesso da parte musical do evento. Sou testemunho do brilhante trabalho feito. Dos vinte e sete anos que levo assistindo este festival, pela primeira vez que presenceio uma organização de se tirar o chapéu, a pontualidade que é o calcanhar de Aquiles dos cabo-verdianos esteve perfeita, irrepreensível. E, tudo feito com prata da casa, com exceção do Gilyto que veio de Cabo Verde.

Um outro aspeto a que se deve exaltar do Arlindo, foi a forma como conseguiu economizar tempo e dinheiro optando para a utilização de uma única banda de acompanhamento para todos os artistas, com exceção da Afrika Rainbow. A meu ver, o ponto alto da festa que este ano, homenageou o nosso saudoso e lendário músico “Norberto Tavares”, foi aquando da interpretação “Nós Cabo Verde de Speransa” pelo conceituado músico Galvão, um dos integrantes da banda de acompanhamento.

“Parsem ma já f’ká mas un ves provod ki nu tem txeu artistas bodona li na merka y ki nu ka precizá gastá dnher pa mandá buska muzikus la fora”!

Sei, que este artigo irá provocar reações várias, levando algumas pessoas bem identificadas a me apelidarem de demagogo, bajulador entre outros mimos depreciativos, em virtude de ter escrito em menos de seis meses, dois artigos enaltecendo a mesma organização. Dor de cotovelo! Contudo, antecipadamente, queria deixar aqui explicito a motivação que me levou a rabiscar este artigo. Tenho uma forte convicção que quando as coisas são bem-feitas, com um grão elevado de profissionalismo e mestria, devemos louvar, parabenizar e enaltecer os seus obreiros como forma de os estimular e encorajar em continuar a aprimorar na busca do mais e da melhor perfeição. Da mesma forma que quando qualquer organização faz calinadas devemos critica-los de forma construtiva, expondo-os as falhas e mostrando-os possíveis caminhos para não continuarem no erro. É a minha máxima.

Muitos poderão pensar que faço isso como frete ou sabujismo, nada mais falso. Não é o meu timbre. Faço-o como patriota, como pessoa que gosta da perfeição.

July-05-2015_CV40th-Independence-DayEstou convicto que as mais de 12 mil pessoas presentes no Point Park saíram satisfeitas. E posso vos garantir que para o ano vindouro, se a mesma comissão estiver ainda em funções, a festa será mais rija, porquanto o propósito desta organização é fazer mais e melhor para continuar a marcar a diferença e fazer da nossa independência o elo de união a todos os níveis do povo crioulo. Uma outra prioridade do comité é ampliar as suas atividades a outras áreas como a social, educacional, etc. etc. Aliás, é intenção do comité, caso o balanço deste evento for positivo, patrocinar algumas bolsas de estudos a estudantes da nossa comunidade com fraco poder económico de forma a prosseguirem os seus estudos.

Hoje, depois de 28 anos a residir no Estado de Rhode Island faço parte deste comité, estou por dentro do que aqui se faz, tenho um envolvimento direto no seu quotidiano, conheço melhor as dificuldades por que passa essa organização e posso fazer uma apreciação real e objetiva das dificuldades encontradas a cada momento na execução das suas atribuições. Hoje, sei quão árduo são esses trabalhos que exigem de cada um, muito esforço físico e mental, dedicação e disponibilidade de tempo, para além de muita seriedade e transparência.

Por isso temos consciência que a alavancagem do comité para o sucesso das nossas atividades é e será sempre o nosso poder económico-financeiro e para isso temos que ser capazes de conseguir convencer os nossos patrocinadores como os TACV, a Caixa Económica, o Banco de Cabo Verde entre outros da justeza e importância das mesmas, e é essa a nossa missão primeira.

Finalmente, como dizia Lindos Mélia, apesar dos elogios da nossa organização, utilizando a sabedoria popular que diz que “não há bela sem senão”, queria expressar o meu desconforto pela postura dos apresentadores “ “ do evento na condução dos trabalhos, que, na minha modesta opinião, julgo que podiam ser mais pragmáticos. Perderam muito tempo com conversas despropositadas.

Uma palavra de apreço ao nosso DJ Lefty. “DJ moda bô é só bô, Ku bô nu ka mesti nenhum Mcs”!

 

By Carlos Tavares

Pawtucket, 07.07.2015

Facebook Comments
Download PDF
Google+
%d bloggers like this: