Home / Blogs / Carlos Tavares / TACV : “WELCOME” AO ESTADO DE RHODE ISLAND

TACV : “WELCOME” AO ESTADO DE RHODE ISLAND


Carlos Tavares

Carlos Tavares

O dia 2 de Junho de 2015, de certeza, que vai ficar na história da comunidade cabo-verdiana de Rhode Island. Foi o dia do voo inaugural dos TACV, com destinos aos EUA, em que o TF Green Aeroporto de Rhode Island é o aeroporto de chegada.

Para testemunhar esse momento histórico nas nossas vidas, cheguei ao aeroporto de Providence, eram 16 horas e trinta minutos e como cabo-verdiano de gema, atrasado. Pois o Boeing 757 da companhia aérea cabo-verdiana já tinha aterrizado e a cerimónia de recepção dos passageiros e da delegação oficial começado.
tacv-arrives-at-providence
Esta mudança estratégica dos TACV de Logan Aeroporto em Boston para TF Green Aeroporto em Providence, a meu ver, teve a ver com a diminuição dos custos de operação da companhia sem descurar no entanto, a satisfação e o melhor servir a comunidade crioula residente nos EUA. Digo isto porque com a diminuição dos custos de operação, os bilhetes de passagem de certeza, vão ficar mais baratos e estando a cidade de Providence – Rhode Island situado praticamente no centro das cidades onde moram a maioria dos cabo-verdianos, as deslocações de e para casa ficaram mais confortáveis, visto que a maioria das cidades do Estado de Nova Inglaterra ficam melhor servidos. Por exemplo, o Estado de Connecticut fica há duas horas de distância, Nova Iorque há três, e o próprio Boston, onde surgem algumas vozes discordantes, há uma hora, isso para não falar de Brockton, New Bedford e outros que ficam a minutos.

É óbvio que decisões dessa natureza nunca agradam a todos. Aliás, alegria de uns é tristeza de outros, sempre foi assim e continuará a ser. Mas, na minha modéstia opinião, este alarido todo não tem razão de ser, senão vejamos, algumas das vantagens directas que passarão a existir com esta medida: deixará de haver o pagamento de portagem à saída do aeroporto; acaba o congestionamento de trânsito que obriga os passageiros a sair de casa com quatro e cinco horas de antecedência; o consumo de combustível diminui consideravelmente; terminam as confusões e os constrangimentos que muitos dos nossos automobilistas enfrentam na auto-estrada  93 Norte e Sul.
Caros amigos, sou de opinião que depois dos bostonianos digerirem esta decisão, a razão virá ao de cima, em detrimento de egoísmo pessoal assoberbado, e todos convirão que aeroporto de Providence é a melhor opção, para a maioria dos crioulos.

A meu ver, a aquiescência desta decisão corajosa da nossa companhia aérea, ficou patenteada com a presença massiva dos órgãos de comunicação social, que deram uma cobertura total ao evento. Desde a chegada do avião, passando pela recepção dos passageiros e terminando com a cerimónia de boas vindas oferecidas pela direção do aeroporto. A minha surpresa foi maior quando deparei com a estação da Rádio WJFD, a maior e melhor estação de rádio da comunidade portuguesa no mundo.

A relevância deste voo inaugural não foi só para os TACV e para os cabo-verdianos residentes na terra do tio Sam, foi também pelos governantes do Estado de Rhode Island, que fez-se representar no acto ao mais alto nível. Esteve presente na cerimónia de boas vinda, da parte de Rhode Island, uma delegação oficial chefiada pela Gina Raimondo, Governadora do Estado, Donald Heflin, Embaixador dos EUA em Cabo Verde, Jean-Phillipe Barros, Deputado estadual RI, e da parte cabo-verdiana uma delegação oficial encabeçada pela Fernanda Fernandes, Ministra das Comunidades e que dela faziam parte José Luis Rocha, Embaixador de Cabo Verde nos EUA, Pedro Graciano, Cônsul Geral de Cabo Verde em Boston, Emanuel Almeida, Director-geral do Turismo e os executivos e trabalhadores residentes dos TACV. A composição da delegação cabo-verdiana, revela a importância que o Governo de Cabo Verde atribui a nossa comunidade, não obstante algum desconforto de determinadas individualidades que insistem em andar na contramão.

O TF Green Aeroporto esteve apinhado de pessoas uns para receber os familiares que vinham de Cabo Verde e outros para dar “welcome” ao nosso Boeing 757 que aterra, primeira vez, no solo de Providence – RI com a bandeira cabo-verdiana, enquanto aeroporto de destino. Penso que os mais de cem mil patrícios residentes neste Estado Oceânico, sentem-se regozijado com esta feliz iniciativa dos TACV.

Fazendo menção às alocuções da Governadora do Estado de RI, assim como o do nosso Embaixador e da Ministra das Comunidades penso que foram muito eloquentes.

Mas, o que deveras me impressionou, foi a intervenção do novel executivo da área comercial dos TACV, o Arik De, um jovem indiano, que pela sua forma de expressar, se não for um bom demagogo, demonstra ser uma pessoa inteligente e capaz de imprimir uma nova dinâmica à gestão da nossa companhia de bandeira, possibilitando fazer voos cada vez mais alto. O tempo dirá se tenho ou não razão.

A morabeza crioula esteve a cargo do agrupamento de Vuca Pinheiro que animou a festa, com músicas tradicionais crioulas. Faziam parte dessa banda além do chefe da Banda Vuca Pinheiro, o Totche, Piduca e Nazario Lopes.

O único senão do júbilo, foi a ausência notada, dos nossos Deputados. Tentando saber o porque dessa inabitual falta, fui esclarecido pelos Drs. Pedro Graciano e Alex Furtado, sendo este último Delegado dos TACV em Boston que a receção foi organizada e oferecida pela administração do Aeroporto de Providence, e que talvez por descuido ou desconhecimento não incluíram os deputados na lista de convidados.

By CARLOS TAVARES
Usa, 3 Junho 2015

Facebook Comments
Print Friendly, PDF & Email
Download PDF
Google+
%d bloggers like this: